Suco + Chá = Suchá, uma maneira de manter o consumo de chás no verão

Por Nutri Marina Medeiros

O suchá é uma preparação alternativa e saudável para continuar consumindo chás no verão. Além de antioxidante, é hidratante e muito refrescante. Também pode ser útil para disfarçar o sabor do chá verde para quem ainda não o aprecia muito.


O chá verde é a segunda bebida mais consumida no mundo. Preparado a partir das folhas da Camellia sinensis, pesquisas recentes mostraram que os compostos polifenólicos derivados da planta são nutracêuticos, promissores para o controle de várias doenças, como doenças cardiovasculares, neurológicas e neoplásicas.
Fonte de cafeína e metilxantina, o chá verde, estimulante do sistema nervoso central, do coração e com atuação no rim como um diurético, é rico em polifenóis, semelhante ao vinho e a curcumina; contém taninos, oligoelementos e vitaminas, mas muitos dos potenciais efeitos preventivos do câncer são relacionados com a a epigalocatequina galato (EGCG), uma catequina – compostos polifenólicos altamente antioxidantes.  Vários estudos têm observado efeitos positivos seu extrato sobre o metabolismo das gorduras em repouso e durante o exercício, indicando um efeito termogênico.
As contra indicações do chá verde são, principalmente, relacionadas à cafeína. A recomendação é de ser consumido até às 16 horas, não alterando, assim, o sono. Também se deve evitar o consumo perto das principais refeições, para que os taninos do chá não interfiram na absorção de nutrientes como, por exemplo, o ferro. Vale também considerar que, até o momento, não existem estudos em humanos avaliando o efeito goitrogênico do chá verde, que prejudicaria a produção tireoidiana de hormônios, não sendo, então, contraindicado para indivíduos com hipotireoidismo. A avaliação clínica e laboratorial é indispensável também neste público.
O chá verde deve ser preparado por infusão de no máximo 5 minutos, para que assim sejam aproveitados todos seus benefícios (com água quente e não fervendo).

Para o preparo do suchá podem ser misturadas outras ervas e especiarias ao suco de frutas, e, embora cada planta tenha uma maneira e um tempo de preparo ideal, uma dica geral e muito útil é sobre as técnicas de preparo:

  • Se escolher fazer o chá com flores e folhas use a técnica de INFUSÃO
    Aqueça a água e desligue, coloque em uma caneca de 250ml com 1 colher de sopa da planta – abafe por aproximadamente 5 minutos.
  • Se escolher raízes e cascas use a técnica de DECOCÇÃO
    Coloque as plantas na água e ferva por 5 a 10 minutos.
    Flores e folhas: Hibisco, Chá Verde, Hortelã, Espinheira Santa ou Camomila. O hibisco auxilia na termogênese, a hortelã é indicada para dores de cabeça, a espinheira santa para dores no estômago, e camomila auxilia na modulação de genes que regulam o sono e a vontade de comer doce à noite.

Considerações sobre cascas e raízes: 1 a 2 paus de canela auxiliam no controle da glicose e no desejo por doces. O gengibre ajuda nas dores musculares, garganta, distensão abdominal e má digestão. Já o mulungu auxiliar no relaxamento e no sono.
Faça um suco bem diluído, sem adoçar e misture ao chá escolhido, como na receita abaixo:

Suchá de canela, maçã e chá verde
Ingredientes:
2 colheres de Chá verde (folhas secas)
200 ml de água
1 canela em pau (e\ou anis estrelado)
½ maçã com casca
Gelo a gosto

Modo de preparo:
Ferva a água com a canela (decocção). Desligue o fogo, espere e coloque sobre as folhas do chá (infusão). Abafe por aproximadamente 10 min., mas mexa bem algumas vezes para melhorar a biodisponibilidade dos compostos. Enquanto liquidifique o gelo, com água e a maçã com casca. Coe o chá e adicione a mistura!
Os chás não são indicados na gestação, e em algumas doenças por isso as demais precauções e recomendações de uso de fitoterápicos devem avaliadas pelo profissional da saúde. Confie no seu nutricionista.

Comentários

comments

Related Posts