Precisamos falar de nutrição

Uma das frases do momento na nutrição é “Desembale menos e descasque mais”. Se acuse quem nunca disse que comia banana porque era uma fruta prática e fácil de descascar! Pois é, somos bem preguiçosos e ainda colocamos a culpa na indústria que produz alimentos maléficos, ops, produtos alimentícios, afinal muita coisa que comemos por aí nem pode ser chamada de comida não é?

Se você acompanhou as notícias sobre as carnes vai entender que não é só dos produtos “de pacotinho” que eu estou falando, já que não vale pensar só nos salgadinhos tipo isopor quando falamos em industrializados, pois os chamados alimentos de verdade já estão sendo atingidos. Mas voltando a falar da culpa, quem é que compra esses produtos alimentícios? se lambuza com um hambúrguer que não apodrece nunca? adora a praticidade dos congelados? acha ruim quando um alimento estraga logo? Tudo bem. Se você se identificou, você é normal! E foi conquistado pela graça de desembalar um alimento muito saboroso, seja doce ou salgado, seja para o lanche ou para o almoço, um pacote que pode ficar dias dentro da sua bolsa ou carro, meses na geladeira sem ter nem um pontinho verde… E aí vem a outra frase: “Se nem um ser vivo se interessou por aquele produto alimentício, você é quem vai comer? Comida de verdade estraga!” Sim, todas aquelas substâncias artificiais que dão o sabor tão atraente e conquistador fazem mal.

O conservante que faz o produto durar meses no pacotinho ou na geladeira também acaba com sua microbiota intestinal (milhões de bactérias que fazem uma barreira no seu intestino, te protegendo de tudo que passa por ali). As mães não dizem que criança saudável cresce brincando na terra e com os animais de estimação? O mesmo vale aqui, precisamos desse contato com os alimentos naturais para manter a saúde! Afinal 2,5Kg do nosso corpo são de bactérias! Não é entrar pra área do terrorismo nutricional, não. É só pra gente parar e pensar um pouco no que podemos fazer de bom pela nossa alimentação e saúde no meio dessa turbulência que a nutrição parece estar passando, e com a comida contaminada que está a nossa volta. As mil dietas disponíveis não tem dado resultado, continuar comendo tem nos feito mal, e viver de luz, por mais que pareça, não é uma saída. Então o que fazer? Descascar mais e desembalar menos! (Rsrsrs) Lembrar que o nosso paladar se acostumou com os aditivos, corantes, edulcorantes e os realçadores de sabor (a soda no leite, o ácido cítrico na carne), por isso as frutas não parecem mais tão doces, as verduras não são saborosas e a comida caseira não tem a mesma graça.

Mas a boa notícia é que em média depois de vinte e um dias comendo melhor o nosso paladar muda, e passa a sentir mais o real sabor dos alimentos. Não dizem por aí que temos que ver a felicidade nas pequenas coisas? Saborear um alimento, sentir sua textura, estar atento a cada sabor que passeia pela boca na mistura de temperos frescos, que foram escolhidos para realçar o verdadeiro gosto da comida, é felicidade! É retornar ao prazer de comer sem ser pelos olhos vidrados na foto apetitosa do fast-food ou do cardápio da tele entrega. Existem muitas maneiras de encontrar a “salvação” das dietas, e eu pretendo compartilha-las com vocês ao longo dos próximos textos! Até breve!

Por Marina Medeiros

Nutricionista

Comentários

comments

Related Posts