A Fazenda – Nova Chance terminou, Flávia ganhou e Marcos ficou em 2º… E você com isso?

A mais recente edição da Fazenda terminou esta noite, com a vitória por 11 milhões de votos de Flávia sobre o doutor Marcos, conhecido e polêmico ex-BBB, expulso da edição. Qualquer pessoa “normal” deve estar se perguntando ‘e daí?‘; qualquer fã de cultura trash deve estar feliz (ou triste) com a maior briga de critérios de qualquer edição até então. Mas precisamos falar sobre esses conceitos…

Marcos Härter participa de seu segundo reality no ano. No reality global, o médico gaúcho viveu um romance e chegou a ser indiciado por agressão à vencedora durante o confinamento, sendo assim expulso do programa. As cenas que originaram a denúncia não foram expostas de forma muito clara para o público de casa, de forma que muitos acreditaram se tratar de uma resposta da emissora ao público, pois a situação estava acontecendo no mesmo período em que toda a questão envolvendo Zé Mayer e a figurinista estava assumindo proporções bastante significativas. Vale lembrar que Emily, a vencedora, também deu uma desaparecida, mesmo tendo deixado claro que usaria o dinheiro do prêmio para se consolidar na carreira artística.

Muitos se dispuseram a acreditar nessa postura do doutor, homem mais velho (37 anos), disposto e paciente de ensinar a jovem Emily (de, então, 20 anos) a ser mais madura, mais mulher (sic)…

Na nova edição da Fazenda, quaisquer resquícios de esperança de que fosse isso foi por água abaixo. O Doctor, que de início, se mostrou super pró ativo, inventando  mil coisas, logo caiu num tipo de tédio, onde ficou evidente que passara a perseguir a competidora (e vencedora) Flavia Viana, novamente com a postura de “educar e doutrinar”.

 

Flávia é, talvez, uma das únicas ex-BBBs que não despontou ao estrelato, mas não caiu no esquecimento. Com isso, ela tem alguns fãs, mas o Doctor tem uma leva de seguidores, por ser de uma edição mais recente e ter saído de forma tão polêmica e tão questionada…

Saltou aos olhos ver que Marcos tentava se mostrar verdadeiro do tipo que fala verdades na cara durante todos os quase 90 dias de confinamento, porém ficou evidente que ele era muito mais invasivo e moralmente agressivo com mulheres, e, mais que isso, que de fato perseguia Flavia. E como se não bastasse estar focado em notar qualquer movimento da peoa, ainda desenvolveu termos (que tornou pejorativo num reality) como VTzeira (que faz tudo para aparecer na edição final, em síntese, e ter mais espaço). E nisso, qual o grande ‘crime’ de Flavia? Aproveitar as oportunidades de aparecer novamente na mídia? Ou não se comportar como ele dizia que ela deveria se portar?

Já estamos em 2017, Marcos Härter não é um deus e, honestamente, não sei se conhecia da vida esta ex-BBB. O que podemos especular é que Marcos parece entrar num tipo de colapso depois de algum tempo de confinamento, e então extravasar para uma menina que esteja por perto.

Os questionamentos de Marcos propagavam uma triste mania popular de cuidar da vida alheia e ditar regras sem nem um pingo de empatia. Mulheres em geral já são subjugadas constantemente no dia a dia. Há ainda de se fazer campanha para defender – e não atacar – mulheres que são abusadas, em pleno ano de 2017, e temos de assistir atos de desrespeito em rede nacional como se fosse normal.

Respeitar é deixar a pessoa ser quem é. Se acha que a pessoa está se fazendo algum tipo de mal, é sentar com carinho e conversar, questionar. Nenhuma imposição é fruto de respeito, e nenhuma tentativa de mudar as pessoas é no intuito de se gostar mais delas, e sim,  uma ação (ou tentativa) de assumir o poder sobre outros.

É muito triste que haja tantas pessoas que se sentiram afinadas com o Marcos, a ponto de votar freneticamente nele. Pensando em estratégia de jogo, Flavia, que ganhou com 56,37% dos votos, representando o ser quem se é, não seguindo padrões impostos socialmente, e sim, buscando se ser feliz. Não só com uma legião de fãs (foi a maior votação até hoje na Fazenda), mas com uma mensagem bem clara, onde denunciava a perseguição como uma coisa não normal e não saudável, Flávia ganhou com uma margem muito pequena de diferença, sendo quase parelha a votação (o terceiro lugar nunca nem tinha ido para a roça, ganhou por conta de sorte, com míseros 2 milhões de votos).

O discurso final de Justus, o homem mais sem carisma para apresentar o programa, que consegue enrolar muito pior que Britto Jr, e tem falas muito inferiores (e com mais cara de enrolação) que Pedro Bial, foi para mim, como mulher, moralmente ofensivo: adjetivos de força e poder, inteligência e tantas coisas para Marcos, enquanto Flavia era a simpática sorridente que usava muita maquiagem. O que é isso? A mulher aguentou um stalker, foi constantemente clara e incisiva sobre a situação, peitou na raça toda a situação opressora que o condicionamento criou e, além de tudo, enfrentou as ressacas e as brigas com um sorriso no rosto, linda, bem maquiada e de salto alto (faltou isso no texto!!!), como toda mulher enfrenta o seu dia a dia!

Infelizmente, o reality teve o enredo de sua final muito realista: uma mulher subjugada por hábitos (Ela estava em rede nacional, a TV engorda, há a ditadura da juventude para mulheres permanecerem na mídia, etc… As pessoas estão ignorando as necessidades de quem quer permanecer no meio, ou simplesmente deixando de chamar ela de obstinada?) sendo agredida por todos os lados e todas as formas, até no anúncio de que venceu. Se fosse aqui fora, num dia normal do cotidiano feminino, talvez o anúncio de vitória fosse o motivo para mais um feminicídio…

Comentários

comments

Related Posts