Grandes diretores – Felipe Hirsch

Seguindo a série Grandes Diretores, hoje abordarei um diretor de talento inquestionável que colecionou ao longo de sua carreira mais de 150 prêmios e indicações: Felipe Hirsch.

Felipe Hirsch capa

Nascido no Rio de Janeiro em 1972, Hirsch é diretor artístico da Sutil Companhia, de São Paulo, desde 1993. Tem como característica trabalhar de maneira geral com a mesma equipe, o que intensifica o desenvolvimento de seus projetos. Conseguiu o aval e a aceitação da mais renomada crítica teatral do Brasil Bárbara Heliodora, que definiu seu trabalho como transgressor, fascinante, hilariante, comovente, assustador, vigoroso, inovador e antológico.

Em 2006 teve o privilégio de dirigir Paulo Autran, no clássico O Avarento, de Moliére, espetáculo finalista do Prêmio Bravo de 2007, e eleito o melhor do ano pela Revista Veja e pela Folha de São Paulo. Em 2007, o espetáculo Educação Sentimental do Vampiro,  sobre a obra de Dalton Trevisan, foi eleito mais uma vez pela Folha de São Paulo como o melhor espetáculo do ano e rendeu a Guilherme Weber o prêmio APCA de melhor ator.

O Avarento - Paulo Autran

O Avarento

Mas um de seus maiores sucessos, tanto de crítica e público, foi em 2010: Pterodátilos, produzido pela Pequena Central, faturou cerca de 30 prêmios, entre eles 3 prêmios Shell, 9 indicações para o prêmio APTR,além de vencer o ​Prêmio Faz a Diferença do Jornal O Globo para Marco Nanini e Melhores do Ano do Jornal O Globo e do Jornal do Brasil. Aqui uma resenha que fiz sobre esse espetáculo na edição de 2011 do Porto Alegre em cena!

Pterodatilos.jpg

Pterodátilos

Comentários

comments

Related Posts