Dramaturgia ou estética? qual o fator mais relevante de um espetáculo teatral?

As constatações não são raras: determinado público aprecia o espetáculo por uma estética diferenciada. Outro sinaliza que a dramaturgia da peça é muito bem construída. De fato, são essas duas engrenagens, associadas aos desempenhos dos atores que potencializam (ou não) um trabalho.

Como sobreviver ao fim do mundo - Emilio Speck 2 menor

Como Sobreviver ao Fim do Mundo – vencedor nas categorias de melhor atriz e diretor revelação na edição de 2014 do Prêmio Açorianos

Talvez pra entender esse mecanismo seja necessário avaliar o público: geralmente o público artístico, a dita e conhecida classe artística é separada por uma nova geração ávida por experimentações estéticas e uma geração mais antiga que valoriza sempre o texto como elemento primordial. Os jovens priorizam trabalhos que fogem do padrão tradicional. A galera do ‘DAD’, nome popular pro alunos do Departamento de Arte Dramática da UFRGS, (faculdade de teatro da instituição), todo ano encenam espetáculos que buscam uma nova linguagem com o público, uma outra forma de ver a arte por um outro espectro.

Isso não quer dizer que esse público não valorize a dramaturgia: ao contrário. Adaptando-a para os tempos modernos ele ainda assim mantém a essência textual, apenas contextualizando-a em outro ambiente. Essa geração vem inovando o cenário teatral no estado. É um grupo que conhece muito a linguagem clássica do teatro mas acredita que é necessário uma nova abordagem e interpretação das obras.

o feio

O Feio – melhor espetáculo na edição de 2012 do Prêmio Açorianos

Comentários

comments

Related Posts