Algumas atrações nacionais do Porto Alegre Em Cena

GUERRILHEIRAS OU PARA A TERRA NÃO HÁ DESAPARECIDOS (São Paulo)

18 e 19 de setembro – 19 horas

Sala Álvaro Moreyra – Centro Municipal de Cultura

Ingresso: R$ 80/ R$ 40

O espetáculo é um poema cênico, entre ficcional e documental, que resulta de extensa e, principalmente, intensa pesquisa realizada sobre a guerrilha às margens do Rio Araguaia ocorrida durante a ditadura militar. Idealizada por Gabriela Carneiro da Cunha, com direção de Georgette Fadel e dramaturgia de Grace Passô – três consolidadas artistas -, a montagem narra a luta de doze mulheres que viveram e combateram na região com sensibilidade fina, buscando iluminar e manter acesa a chama sobre este obscurecido episódio da história. As imagens desveladas em cena levam o espectador a mergulhar na dramaticidade da história e, ao mesmo tempo, metaforicamente, associar a diversos outros fatos da vida, transmitindo uma mensagem de que a questão fundamental segue como o próprio rio.

Crédito: Elisa Mendes

FICHA TÉCNICA
Idealização: Gabriela Carneiro da Cunha / Direção: Georgette Fadel / Dramaturgia: Grace Passô / Elenco: Carolina Virguez, Sara Antunes, Daniela Carmona, Mafalda Pequenino, Fernanda Haucke e Gabriela Carneiro da Cunha / Direção áudio visual: Eryk Rocha / Direção musical: Felipe Storino / Cenografia: Aurora dos Campos / Iluminação: Tomas Ribas / Figurino: Desirée Bastos / Colaboração musical: Eryk Rocha / Assistente de direção: Julia Ariani / Assistente de dramaturgia: Gabriela Carneiro da Cunha / Assistente de áudio visual: Juliana Saldanha e Renato Vallone Bujnowski / Operação de som: Bruno Carneiro / Operação de luz: Jimmy Wong / Operação de vídeo: Bruno Carneiro / Produção: Núcleo Corpo Rastreado – Thaís Venitt / Duração: 90min / Recomendação etária: 16 anos

O LÍQUIDO TÁTIL (Minas Gerais)

19, 20 e 21 de setembro – 18 horas

Sala Carlos Carvalho – CCMQ

Ingresso: R$ 80/ R$ 40

A montagem do sólido grupo mineiro espanca! – que vem há mais de dez anos expandindo discussões acerca de códigos teatrais e a escrita de uma “poética da violência”, bem como apresentando uma estética sempre conectada com a contemporaneidade, a diversidade e suas contradições – é o resultado de um mergulho em conjunto na obra de Daniel Veronese, diretor e dramaturgo argentino e um dos nomes mais reverenciados do teatro atual. A encenação, que conta com potentes atuações de Grace Passô, Gustavo Bones e Marcelo Castro, gira em torno de uma família inquietantemente realista e de seus diálogos sobre as artes, o ato teatral em si e os desejos inconscientes que perseguem o homem, o que acaba por provocar diversas tensões, desvendando distintas visões sobre a relação existente entre a vida e a arte.

Crédito: Guto Muniz

FICHA TÉCNICA
Texto e direção: Daniel Veronese / Elenco: Grace Passô, Gustavo Bones e Marcelo Castro / Tradução do texto: Gustavo Bones / Concepção de cenografia, luz, vídeo e trilha sonora: Daniel Veronese / Cenotécnico: Nilson dos Santos / Iluminação: Edimar Pinto / Edição de vídeo: Fábio Gruppi / Figurino: Espanca! / Coordenação de produção: Aline Vila Real / Assistência de produção: Aristeo Serra Negra / Realização: espanca! / Duração: 50min / Recomendação etária: 14 anos

Espetáculo realizado com recursos do Programa Petrobras Cultural, patrocinado pela Petrobras através da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

O TESTAMENTO DE MARIA (São Paulo)

19 e 20 de setembro – 20 horas

Centro Histórico Cultural Santa Casa

Ingresso: R$ 80/ R$ 40

O solo – assinado por Ron Daniels e interpretado primorosamente pela talentosa atriz Denise Weinberg – subverte a imagem sagrada da mãe de Jesus. Com texto do irlandês Colm Tóibín, o monólogo – que teve sua produção original na Broadway por Scott Rudin – embaralha o senso comum a respeito desta personagem tão cristalizada através do cristianismo. Em sua primeira montagem no país, Weinberg personifica uma Maria totalmente humanizada e já no fim de sua vida, exilada em Éfeso (Turquia). Sedenta por desvendar os mistérios da crucificação de seu filho, ao mesmo tempo inconformada e imersa em angústias, esta mulher revela-se uma figura de enorme estatura moral e que não admite calar-se nem perante a crueldade dos romanos, nem com a estranha e – para ela – inexplicável exaltação dos discípulos de seu filho.

Crédito: João Caldas

FICHA TÉCNICA

Texto: Colm Tóibin / Tradução: Marcos Daud e Ron Daniels / Concepção, adaptação e direção: Ron Daniels / Atuação: Denise Weinberg / Cenografia: Ulisses Cohn / Figurino: Anne Cerutti / Música originalmente composta e execução ao vivo: Gregory Slivar / Iluminação: Fábio Retti / Diretor assistente: Pedro Granato / Fotografia: João Caldas / Operação de luz: Claudio Cabral / Produção: Baccan Produções / Duração: 60min / Recomendação etária: 16 anos

O TESTAMENTO DE MARIA foi produzido originalmente na Broadway por Scott Rudin Productions e desenvolvido pelo Dublin Theatre Festival e Landmark Productions com o apoio do Irish Theatre Trust.

Comentários

comments

Related Posts