O que é Rock II – A missão

Existe um caminho do meio no Rock? Existe agricultura orgânica e existe Maquidonaudis! Longo prazo, curto prazo, prazer agora ou dor depois… Pra onde vai o investimento no Rock? Rock é Prazer! E para o masoquista támbém! Somos todos iguais no Rock’n’Roll. Embora alguns sejam mais iguais que os outros, chefe.

evolution_of_rock_A1

Na verdade, eu não faço a menor ideia do que é rock! Eu tenho até medo de saber. Se eu souber, talvez já esteja velho demais para o Rock’n’Roll… And too young to die... Saber é o coisa de sábio, e sabe? Só sei que nada sei. Se o seu pai gostar de rock, é rock ainda? E se você for o tal pai, o que você gostava ainda é rock? Ou é museu do rock? O rock se acomodou, ou os tios estão “mais extremos”? Um senhor “de idade” foi ao show do Rammstein, e sua esposa ao show do bom jovem tio Bon Jovi, a quem tudo se perdoa…

O rock depende do cabelo? Da idade? Da  letra? Da batida? Da afinação? Tem que ter guitarra ainda? Questiona ou imita? Agride ou agrada? É saúde ou doença? Paga conta ou leva à falência? O certo é que o Rock foi algo nos 50, que não foi não foi nos 60, nem seria nos 70 ou 80, 90, 00, 10… E se a humanidade entender a mensagem do rock e deixar de ser trouxa, chegaremos aos 3000. E ainda haverá algo que será chamado de Rock’n’Roll, nem que seja o rock’n’Roll que já foi um dia. Como um dia a música já foi dita antiga, renascentista, barroca, clássica, romântica, moderna, pós-moderna, conteporânea, dodecafônica ou jazz (e tudo é jazz, inclusive o rock).

I LOVE ROCK N ROLL BLACK

Hoje todas as músicas convivem diariamente em todo e qualquer lugar. É só você ter uma atitude Rock’n’Roll e ir a todos os eventos de música grátis que existem por aí e não ficar só pagando pau (e ingresso caro achando barato) pra ouvir banda gringa. Ou então fazer o contrário, e ouvir só o que você acha bom. Ou seja, ter a outra atitude Rock’n’Roll possível: o radicalismo musical. Todos passam por isso. Se não for no início, ingênuo e cheio de energia hormonal, será no fim, “intelectualóidizado”, eruditizado e ranzinza; “isso que se faz hoje em dia é uma barulheira do baralho! No meu tempo é que era blofcofcoarghufsblablablaiaiai meu reumatismo mental, no meu tempo é que se fazia barulheira de verdade, com fundamento!”…sic

Aproveitemos o conforto e a segurança do radicalismo musical! E das falsas certezas estéticas e filosóficas enquanto pudermos. Isso pode nos tornar ricos e famosos cedo. Ou tarde.

Ou não.

Comentários

comments

Related Posts