“O Olhar Vertical”, por Tuca Reinés

por Bruna Antunes

Um dos fotógrafos mais conhecidos da atualidade no Brasil, Tuca Reinés, foi convidado pelo Santander, em 2013, para realizar imagens de diversas cidades brasileiras onde seriam abertas novas agências do banco. As imagens despertam curiosidade e reflexão crítica a respeito do crescimento das cidades brasileiras, demonstrando que o trabalho foi muito além do simples registro institucional. Com a curadoria de Agnaldo Farias, a série de fotografias que gerou o livro “O olhar em suspensão”, de Tuca Reinés, se torna também uma exposição.

olhar-vertical-tuca-reines (4)

Em 22 meses de trabalho, quase 90 mil quilômetros foram percorridos em mais de 200 horas de vôo, resultando em uma homenagem às cidades brasileiras. Em um total de 49 cidades foram feitos 37.653 cliques. Desses, 120 foram selecionados para o livro e 48 para a exposição. As fotos capturam com clareza a separação entre condomínios de luxo e favelas, muitas vezes construídos em áreas comuns. Também é notável o descaso com o meio ambiente, visível tanto nas invasões quanto nos grandes empreendimentos imobiliários.

O curador da mostra, Agnaldo Farias, comenta da responsabilidade delegada a especialistas para decidir o rumo do crescimento das cidades quando a população fica distante deste processo. “Os rumos das cidades também são nossa responsabilidade, não apenas de especialistas ou políticos. Eles vão tomar decisões baseadas em outros fatores, muitas vezes econômicos, mas nós é que vivemos na cidade”, ressaltou.

O fotógrafo comenta das potencialidades turísticas desperdiçadas, também visíveis no livro e na exposição. “O turismo urbano, voltado para a arquitetura, por exemplo, que é importantíssimo para a economia global, não é levado a sério. A exposição retrata esses pontos que poderiam ser valorizados, agregando valor turístico a essas cidades”, afirmou.

Tuca Reinés: O olhar vertical

De 5 a 30 de agosto no Santander Cultural (Rua Sete de Setembro, 1028), de terças a sábados, das 10h às 19h, e domingos e feriados, das 13h às 19h.

Comentários

comments

Related Posts